Paulo Ramos Derengoski 19/08/2020

Profecias de São João Maria

Quase um século depois do surto messiânico e anti - imperialista do Contestado a crença em São João Maria existe em muitos rincões do Planalto Sul brasileiro.

Algumas frases do Santo correm de boca em boca num tom apocalíptico e ameaçador - ..."Dia chegará em vai haver muito rastro e pouco pasto..." - numa antevisão das avalanches populacionais, do emergir das massas que brotam como cogumelos após as chuvas.

É bem verdade que o mundo sonhado pelos jagunços acabou. Terminou para sempre.

O neto, o bisneto do homem do Contestado é hoje motorista de um possante caminhão Volvo, ou mesmo operador de computador. A tentativa de resgatá-lo é válida no plano cultural, histórico, mas não pertence à realidade material do mundo do terceiro milênio.

Curiosamente no entanto, algumas obsessões dos errantes renascem graças ao movimento tecnológico. Mas em outro plano.

A arqueologia, cujo impulso recente está ligado à tecnologia dos metódos de ultrasons computadorizados está levantando o véu sobre o papel das pedras, das rochas, dos rochedos, das grutas, das cavernas, dos buracos de índios em torno dos quais sempre cresceu uma forte mitologia popular.

Como observou Oswaldo Rodrigues Cabral, as divindades primitivas e pagãs adoravam a pedra. Até o hebreu monoteísta carregou do fundo do Jordão as pedras pedidas por Josué. Os incas faziam seus sacrifícios sobre as pedras. Grutas naturais abrigam inúmeros santos. Os druítas cultuavam a pedra. Sobre a pedra, Deus mandou Pedro edificar a Igreja. São João Maria residiu na gruta do Lapa do Paraná, onde até hoje é louvado...

Da mesma forma: a água. São João Maria costumava dormir sempre perto de uma fonte - e a frase... "Todos devem beber a água limpa que ninguém pode sujar..." a ele é atribuída. Ora, a redescoberta importância da água no mundo é recente. Até porque ele ameaça faltar caso continue a ser desperdiçada.

Os vedas diziam que a água era fonte de vida. O Genesis afirma que o espiríto de Deus se movia sobre as águas. A água ainda é o maior de todos os fertilizantes. A primeira a maior obra dos romanos eram os aquedutos. A imersão nas águas faz parte das religiões. João Batista batizou Jesus. Os indus vivem e morrem pelo Ganges. Todas as águas formam só água. Os rios, os arrôios, as sangas, os banhados fazem parre do universo joãomariano... As águas miraculosas onde ele bebeu - em Lages, Curitibanos, Painel, Campos Novos - são aguassantas...

Também e ecologia, ciência recente do estudo e preservação do meio ambiente colabora com os triduos joãomarianos. O santo dos sertões do sul era um distribuidor de ervas. As cruzes que ele platava refloriam. Assim como bastão de Maomé reverdesceu em Damasco. A lança de Romulo cobriu-se de folhas para marcar a fundação de Roma. A vara de ouro de Manco Capac floriu no templo inca do sol. Santo Antônio de pádua fazia renascer as árvores. O carvalho das preces, na Bretanha era tido por milagroso. Hipócrates ensinava a arte de curar à sombra dos platanos. A gameleira branca é a moradia de um Deus Africano. E Guimarães rosa no "Grande Sertão Veredas" conta que os caboclos tomavam o chá de jurema após as grandes caminhadas.

A guerra do contestado teve como uma de suas causas maiores a devastação de milhões de pés de araucária Angustifolia, alteração ecológica que foi umas das maiores do mundo em todos os tempos. E que desalojou de suas terras milhares de compônios e rurícolas, que com sua madeira construíam casa e se alimentavam de seu fruto do ouro: o pinhão.



Logo_Branco_Sem_Fundo.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | O Momento