Comarca de Bom Retiro interrogará 49 réus integrantes de organizações criminosas

Está na fase de interrogatório uma das ações mais complexas que tramitam na comarca de Bom Retiro, na Serra Catarinense. Nesta e na próxima semana, o juiz Edison Alvanir Anjos de Oliveira Júnior deve indagar 49 acusados dos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas e corrupção de menores. O processo tem ainda outros quatro réus, num total de 53 nomes em uma única denúncia. 

Os indiciados, homens e mulheres, integrantes de organizações criminosas rivais que disputam o tráfico de drogas na cidade, estão presos preventivamente em Chapecó, Lages, Florianópolis, São Pedro de Alcântara, Curitibanos e Foz do Iguaçu. Todos serão interrogados presencialmente na comarca de Bom Retiro. Para segurança do ato judicial, a Justiça conta com o apoio da Polícia Militar e do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional do TJSC. 

As 115 testemunhas, cinco de acusação e 110 de defesa, foram ouvidas entre novembro e dezembro. As oitivas puderam ser acompanhadas pelos réus das unidades prisionais, por meio de videoconferência. Também com o auxílio da tecnologia, os 27 advogados que atuam na defesa dos réus participaram das audiências dos escritórios ou de onde consideraram mais adequado.  

O processo teve início em agosto. Com o sistema de videoaudiência, regulamentado pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, foi possível gerar mais celeridade e economia aos cofres públicos, já que os réus não precisaram ser transportados e escoltados até a comarca para acompanhar todos os atos. 

A última sessão ocorre no dia 30 de janeiro. Depois disso, as partes podem requerer diligência. Em seguida, são feitas as alegações finais e, por fim, a sentença. 

NCI/TJSC - comarca Lages/Bom Retiro

Logo_Branco_Sem_Fundo.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | O Momento