Uma questão de níveis iguais para um relacionamento

Ninguém muda ninguém, o que acontece, depois de três anos de relacionamento, é o fim ou o inferno, é uma sequência do amor que compreende toda importância da outra pessoa. Relaciomento por conveniência dos filhos, por comodidade social, por medo da solidão, eis uma tríplice da maior desgraça existencial

Por Escritor Joacir Dal Sotto *

Ninguém carrega uma obrigação de fazer um curso universitário, ou entender de livros e autores, de filosofia e literatura, o caminho da informação é uma espada com dois lados. Quando começa um relacionamento, tudo são flores, ao menos é sabido que, na cultura ocidental contemporânea, todo relacionamento começa pelo viés romântico. É provável que o amor romântico seja aos poucos substituído pela parceria, pela divisão de tarefas e desenvolvimento de tarefas compartilhadas, sim, o amor chega ao viés do alinhamento espiritual e emocional, tudo pelo poder do diálogo, pela capacidade de ser sincero com o outro e não querer que estar ao lado do outro seja finito ou que o outro mude.

Ninguém muda ninguém, o que acontece, depois de três anos de relacionamento, é o fim ou o inferno, é uma sequência do amor que compreende toda importância da outra pessoa. Relaciomento por conveniência dos filhos, por comodidade social, por medo da solidão, eis uma tríplice da maior desgraça existencial.

Existem caminhos que são importantes para um relacionamento, entre eles está o nível de cultura que cada um está envolvido. Fazer uma faculdade é abrir leques para tua vida, o formado em uma faculdade terá mais escolhas profissionais, e ter mais opções profissionais é também símbolo de pequenas alegrias. Compare um analfabeto contigo que só é formado no segundo grau, logo você pensa que carrega diferenças substanciais em relação ao analfabeto, ainda que o que fazer com poucas informações seja mais importante que o que fazer com informações contidas em um canudo universitário, mas sabemos que angústia pela própria ignorância é um grande alimento da tristeza. Agora, compare um graduado em qualquer área e que saiba lidar com suas informações, e pense em teus momentos de inveja em relação ao detentor de uma graduação, logo você sentirá vergonha de ser tão fraco.

Um relacionamento entre dois analfabetos é alimentado pelo amor, o amor não exige informação, mas formação para o convívio. Agora pense que o teu par busca pela formação e um dia encontra sua formação, logo um analfabeto será você diante o teu grande amor, logo o discurso não será o alimento para um debate.

O que fica é, qual é o futuro que você espera do teu par? O que fica é, qual é o futuro que você espera para tua vida?

* Filósofo e Mestre em Práticas Transculturais.

Imagens

Logo_Branco_Sem_Fundo.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | O Momento