Cevada já é cultivada na Fazenda Santa Catarina, em Lages

Trata-se de projeto desenvolvido pela Ambev, o qual conta com a parceria da Secretaria municipal de Agricultura e Pesca e Epagri

Uma área de 44 hectares de campo cultivada com cevada, pelo produtor rural Osvaldo Unicini, está integrada ao projeto de incentivo às culturas do Lúpulo e da Cevada desenvolvido na Fazenda Santa Catarina, de propriedade da Ambev, unidade de Lages. O projeto conta com a parceria da Secretaria de Agricultura e Pesca e da Epagri.

 A cevada e o lúpulo são ingredientes essenciais na produção de cerveja. "O projeto tem como objetivo fomentar a produção de cevada e lúpulo, na região serrana, oferecendo mais uma alternativa de renda aos produtores rurais. Além, das vantagens econômicas, o cultivo da cevada no inverno, por exemplo, representa benefícios para os produtores em relação à rotação de culturas e proporciona melhores condições do solo para os cultivos de verão", destaca o secretário de Agricultura e Pesca, Thiago Cordeiro.

Além disso, Thiago comenta que "a cevada pode ser uma alternativa para plantio de inverno na região serrana, pois apresenta resistência à geada e é favorecida por um clima seco e frio constante".

O secretário diz que em relação ao lúpulo, trata-se de uma cultura de alta intensidade, portanto o produtor não necessita de grandes áreas para desenvolver a atividade e se encaixa muito bem no universo produtivo da Agricultura Familiar.

"Já existem pesquisas, experimentos e experiências o suficiente que garantem que a produção de lúpulo pode resultar em altos rendimentos e com a qualidade que o mercado exige, uma vez implantada de forma correta e com um perfeito manejo do cultivo", fala Thiago.

Capacitação sobre cultivo do lúpulo

Em agosto, o secretário de Agricultura e Pesca, Thiago Cordeiro, juntamente com técnicos e produtores rurais da Serra Catarinense, participou de atividade de capacitação teórica sobre o cultivo de lúpulo, ocorrida na unidade fabril da cervejaria Ambev, em Lages (Fazenda Santa Catarina). Os participantes tiveram a oportunidade de fazer uma visita a campo na fazenda da Ambev, e na Unidade de Referência Tecnológica (URT) instalada na propriedade da família Carraro, na localidade de Macacos, interior do município de Lages.

O idealizador do projeto e um dos organizadores e gerente de projetos da Ambev, Felipe Sommer, informou, na ocasião, que neste mês de setembro será feita a entrega das primeiras 10.000 mudas de lúpulo aos produtores rurais integrados ao projeto. O lúpulo, planta responsável pelo aroma e amargor da cerveja, é uma cultura perene. Esta planta tem um ciclo de aproximadamente de 15 anos em média.

"Esses produtores rurais irão cultivar lavouras que servirão de modelo para outros produtores interessados nesta cultura agrícola. A intenção é produzirmos, brevemente, uma cerveja em escala com produtos 100% catarinense, por si só lageana, ou seja, teremos uma marca de cerveja 100% brasileira com todos os ingredientes necessários para a produção da cerveja: (água, levedura, malte e lúpulo)", destaca Felipe Sommer.

De acordo com a Associação Brasileira de Lúpulo (Aprolúpulo), o Brasil têm cerca de 40 hectares com o cultivo de lúpulo, o que representa um crescimento de 110% com relação ao ano anterior. A produção total aproximada gira em torno de 24 toneladas. Santa Catarina é o Estado com maior percentual de produtores (27%), seguido de Rio Grande do Sul (22%), São Paulo (18%), Paraná (7%), Minas Gerais (6%) e Rio de Janeiro (5%).

"De acordo com o ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, atrás apenas da China e Estados Unidos. A produção Brasileira é de 14 bilhões de litros de cerveja por ano, mas praticamente 100% do lúpulo utilizado nas cervejas é importado", destaca Felipe Sommer.


Imagens

Logo_Branco_Sem_Fundo.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | O Momento